0

Com Alex Atala, D.O.M. é favorito para melhor restaurante do mundo

Lista dos 50 melhores será divulgada pela revista inglesa 'Restaurant' no dia 29; o chef brasileiro foi considerado número 1 por editores de gastronomia do País

24 abr 2013
15h24
atualizado em 26/4/2013 às 12h56
  • separator
  • 0
  • comentários

O restaurante D.O.M., do chef brasileiro Alex Atala, é favorito para liderar a lista dos 50 melhores do mundo, elaborada pela revista inglesa Restaurant. De acordo com editores de publicações brasileiras de gastronomia, Atala deve ser o número 1, na premiação que será divulgada na próxima segunda-feira (29).

<p>O diretor responsável do caderno Paladar, no jornal <em>O Estado de S. Paulo</em>, Ilan Kow destacou a qualidade de ser um pesquisador muito dedicado de Atala como diferencial</p>
O diretor responsável do caderno Paladar, no jornal O Estado de S. Paulo, Ilan Kow destacou a qualidade de ser um pesquisador muito dedicado de Atala como diferencial
Foto: Divulgação

Até René Redzepi, chef e sócio do atual número 1, o Noma, na Dinamarca, assumiu o favoritismo do D.O.M.. “Os olhos estão voltados para a América Latina”, disse a editora-chefe da revista Menu, Beatriz Marques. “Ele (Alex Atala) criou uma cozinha regional com nível de alta gastronomia. Viaja o mundo inteiro, é um eterno pesquisador, é merecedor e tem condições de ser o número 1”, opinou o editor-chefe da Go Where Gastronomia, Celso Arnaldo Araújo. 

<a href="http://culinaria.terra.com.br/infograficos/50-melhores-restaurantes-mundo/iframe.htm">veja o infogr&aacute;fico</a>

“Atala já viajou muito pelo Brasil, para o Pantanal, sul do País e pelo mundo (...), preocupado em descobrir coisas brasileiras para a gastronomia, seja novas formas de produzir ou ingredientes”, contou o idealizador e diretor responsável pelo caderno Paladar, do jornal O Estado de S. Paulo, Ilan Kow. O diretor destaca em Atala a qualidade de ser “um pesquisador muito dedicado”, o que proporciona a exploração da riqueza de sabores e ingredientes nacionais na gastronomia. 

Segundo Araújo, pela história de vida de Atala – que “começou de baixo, lavando pratos” e foi considerado um dos 100 nomes mais influentes do mundo pela revista Time na última semana – “faz sentido que ele seja o primeiro colocado”.

<p>O chef já viajou para várias regiões do Brasil em busca de novos ingredientes, formas de preparo de alimentos epara fazer pesquisas. Atala estimula a consolidação de uma gastronomia tradicional brasileira</p>
O chef já viajou para várias regiões do Brasil em busca de novos ingredientes, formas de preparo de alimentos epara fazer pesquisas. Atala estimula a consolidação de uma gastronomia tradicional brasileira
Foto: Divulgação

Araújo considera mais importante o chef “como personalidade gastronômica” do que o próprio D.O.M.. No entanto, o destaque do restaurante brasileiro se prova pelo alto número de visitas estrangeiras que recebe: “não há chef que venha ao Brasil e não vá ao D.O.M. e ao Mocotó”, considerou. 

Segundo Beatriz, a escolha de Atala como uma das pessoas mais influentes do mundo é a confirmação de uma tendência e é bastante significativa: “são poucos chefs que entraram nessa lista. O Brasil tem cada vez mais exposição, pela economia, vinda de estrangeiros, pelo turismo mais frequente. (...) Todo mundo busca novidade na gastronomia, os chefs querem  novos sabores e temos uma riqueza muito grande de alimentos”. Atala soube, segundo ela, explorar os ingredientes brasileiros e representar a gastronomia nacional pelo mundo.

Kow ressalta a importância de trabalhos paralelos ao restaurante que Atala mantém, como a linha “Retratos do Gosto”, lançada pelo chef como forma de incentivar a culinária nacional, com produtos de qualidade, como arroz, granola, derivados do milho e variedades de feijão e os livros sobre ingredientes e cozinha do Brasil.

Brasileiros entre os melhores

Outros dois restaurantes brasileiros que podem estar na lista são Maní, com a chef Helena Rizzo, atual 51º na lista inglesa de 2012, e Roberta Sudbrack, na 71º posição. Araújo acredita em uma escalada no ranking dos restaurantes brasileiros, no entanto, de acordo com Kow, só de o País ter três nomes concorrendo “já é um reconhecimento da evolução da gastronomia, que está se equiparando à francesa e espanhola”. “É uma forma de exportar cultura pela gastronomia para o mundo”, concluiu o idealizador do Paladar. 

Segundo informações da assessoria de imprensa de Alex Atala, o chef recebeu convite para acompanhar a divulgação dos 50 melhores restaurantes do mundo em Londres. Helena Rizzo também estará na cidade inglesa, no entanto, a assessoria de imprensa da chef não confirmou recebimento de convite.  Para Beatriz, se o Maní recebeu o convite para acompanhar a divulgação dos estabelecimentos, deve ser indicado. Até as 15h desta quarta-feira, o Terra não obteve retorno da assessoria de Roberta Sudbrack sobre o assunto.

Foto: Divulgação

Anúncio dos 50 melhores

O Terra, a maior empresa latino-americana de mídia digital, transmitirá ao vivo o anúncio dos 50 melhores restaurantes do mundo na próxima segunda-feira (29), a partir das 16h, direto do Guildhall, em Londres, na Inglaterra. A transmissão estará disponível inclusive para tablets, smartphones e TVs conectadas.

No ranking de 2012, o restaurante D.O.M., de Alex Atala, ficou com o 4º. lugar no ranking mundial. Mais dois brasileiros foram mencionados não entre os 50, mas entre os 100 melhores restaurantes do mundo. O restaurante Maní, da chef Helena Rizzo, em São Paulo, ficou com a 51ª posição, e o Roberta Sudbrack, da chef de mesmo nome, no Rio de Janeiro, pegou a 71ª posição.

O ranking 'The World's 50 Best Restaurants', organizado pela revista Restaurant, elege os 50 melhores restaurantes do mundo, escolhidos por 936 jurados especializados. A transmissão do 'The World's 50 Best Restaurants' é um oferecimento da FineDiningLovers.com, com patrocínio de S. Pellegino e Acqua Panna. 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade