Bar Veloso - Bar produz uma coxinha por segundo e 1.500 caipirinhas por dia

O bar Veloso já ganhou mais de 10 prêmios como melhor boteco, pela coxinha e pela feijoada servida aos sábados

Danielle Barg

São cinco horas da tarde de uma terça-feira. Um moço alto, de pele bem branca, quase rosada, e olhos azuis, para com um sorriso na frente da porta recém-aberta do bar Veloso. “Desculpe, amigo, abrimos agora só para fazer fotos para uma matéria”, diz o famoso barman Souza para o ex-futuro cliente. “Então posso fazer uma foto?”, responde, meio desapontado, o gringo, deixando clara a intenção de voltar mais tarde.

O Veloso é apenas mais um bar em meio a um vasto e apetitoso roteiro gastronômico que a capital paulista oferece. Mas o status de ponto turístico da casa surgiu com o jeito especial de fazer dois ícones da culinária brasileira – a coxinha e a caipirinha.

O primeiro item já é fabricado em linha de produção, tamanha a demanda, mas não perdeu o gosto caseiro e o frescor do “feito na hora”. Já a caipirinha segue o padrão “by Souza” de qualidade, que já rendeu à casa e ao especialista uma série de premiações.

O Terra teve acesso à cozinha do Veloso e traz, com exclusividade, as principais curiosidades sobre o local. Confira também uma entrevista exclusiva com o barman Souza e as receitas mais apetitosas da casa.

Os números estão em amarelo e devem ser distribuídos ao longo das abas