publicidade

Veja 10 tendências que vão ganhar as mesas brasileiras

Depois de modas como cupcakes e bolos de caneca, as novas tendências para a culinária envolvem a valorização de produtos orgânicos e pratos feitos em casa
Foto: Getty Images
 

Cupcakes, brigadeiros incrementados, temakerias, varandas gourmet e bolo de caneca são algumas das modas recentes que conquistaram adeptos no país. O Terra conversou com especialistas no assunto que apontam 10 tendências que devem ganhar a mesa e o paladar dos brasileiros de agora em diante. Confira:

1. Volta às origens
Escolher produtos feitos no local onde mora é uma tendência apontada por Karina Motta, sócia do Grupo Chez, que possui o restaurante Chez Lorena, em São Paulo. "Desde a louça até os ingredientes", diz. Ela aponta que podem ser peças de barro, utensílios entre os mais antigos, usados para cozinhar e servir, e até mesmo louças pintadas com motivos brasileiros. A valorização dos ingredientes locais também passa por questões econômicas e ambientais - itens que não precisam 'viajar' têm menor emissão de carbono, por exemplo.

2. Eu que fiz
Em meio a tantas opções de produtos prontos, até mesmo alguns com apelo de caseiros, oferecer aos convidados algo que foi feito por você irá além da sua melhor receita. Plantar legumes ou ervas para temperos em casa é um hábito que ganhará mais adeptos. "Qualquer apartamento tem espaço para uma pequena horta, mesmo que seja em vasos", afirma Karina Motta. Além de temperos, vale investir em um pé, que pode ser de qualquer fruta que se adapte em espaços pequenos, como limão ou maracujá.

3. Julienne ou brunoise? Nenhum deles
Com a popularização das cozinhas gourmet, pode ter acontecido um crescimento da preocupação em relação a técnicas usadas na alta gastronomia, como se o corte ideal de alimentos seria julienne ou brunoise, por exemplo. Pois esqueça. A moda é servir os alimentos inteiros, para que o ato de fatiar faça parte do ritual da refeição. "Servir tomates vindos do próprio pé, ainda com galhos, acompanhados de vários tipos de molhos e cada um corta o seu", sugere Karina Motta. Se não quiser ou tiver habilidade para cultivar seus ingredientes, compre-os em lojas de produtos orgânicos e sirva-os. Outros produtos podem ir inteiros à mesa, como a batata-doce, temperada com sal grosso, servida como entrada.

4. Informal bacana
Segundo a designer de interiores Antonia Mendes, da Caza Narciso, o jeito de receber e servir está cada vez mais informal. "Houve quebra de protocolos", diz. Portanto, escolher se os convidados irão jantar em bufê tipo americano ou tradicional já não faz parte das preocupações. E ainda, se algum dia você ficou preocupada porque quebrou um prato do jogo de jantar, esqueça, pois não é preciso usar os mesmos itens para todos os convidados. "Mistura-se elementos, incluindo pratos diferentes, texturas, sobreposições de toalhas, brilhos e há novas maneiras de apresentação dos pratos", afirma.

5. Vinhos orgânicos e em embalagem sustentável
Depois da popularização dos alimentos orgânicos, será a vez dos vinhos seguirem essa linha. "Os vinhos orgânicos e biodinâmicos vêm crescendo no Brasil, inicialmente com os consumidores mais especializados, mas em breve poderá estar nas gôndolas dos supermercados", disse a sommelier Rosana Ferreira da enoteca O Melhor Vinho do Mundo. Deve crescer também a oferta de vinhos em caixas, chamados de Bag in Box, uma alternativa para reduzir o preço dos vinhos mais simples, e os lacrados com rosca. "É utilizado na grande maioria em vinhos que devem ser consumidos ainda jovens. E considerando o aumento do consumo, a escassez da árvore que gera a rolha ou cortiça (Sobreiro), as tampas de rosca e as rolhas sintéticas serão cada vez mais utilizadas", afirmou.

6. Vinhos para consumo rápido
"Devido ao grande aumento do consumo mundial de vinhos, as vinícolas estão cada vez mais produzindo vinhos para o consumo mais rápido", diz Rosana Ferreira. Os vinhos mais encorpados e de estilo, que precisam de muito tempo de guarda para serem degustados, estão diminuindo. "Por isso os vinhos estão cada vez mais fáceis de beber, frutados, com influência de madeira, o que, de certa forma, os deixa muito parecidos, o que desagrada aos enófilos mais exigentes". A sommelier explica que essa tendência mudou hábitos em países tradicionais no mundo do vinho, como França e Itália, que têm se "flexibilizado". Na França a maioria das vinícolas já está começando a indicar o nome das uvas nos rótulos, o que não era necessário, pois o que importava era o produtor, a região e o terroir. Na Itália, onde se produz vinhos tradicionais com uvas regionais, começaram a utilizar cada vez mais no corte (assemblage) uvas de outros países, como França e Espanha. "Em ambos os casos o objetivo é tornar o vinho mais fácil e acessível à maioria dos consumidores, que ainda conhecem pouco, mas querem degustar essa bebida maravilhosa", explica.

7. Comida perfumada
O uso de ervas aromáticas é bem disseminado. Agora a moda é perfumar a comida com ingredientes que antes eram usados apenas na perfumaria. O que deve ficar mais popular é a lavanda, segundo Léo Marques, chef da empresa Moreira do Valle, cujo proprietário, o decorador José Roberto Moreira do Valle, viajou à Jordânia para trazer a planta para rechear receitas. Segundo Léo, é fácil de usar. "Pode ser colocada fresca ou seca sobre risotos, massas, saladas com frutas", ensina. Ele ainda destaca que ingredientes clássicos da perfumaria, como os cítricos, são fundamentais em receitas para o verão. Alguns especialistas apontam o uso de itens para perfumar a comida como pinheiro, eucalipto, mas o chef brasileiro não aposta nesse caminho. "Acho que não funciona porque deixa a comida com cheiro de banheiro", brinca.

8. Brincar de chef
A popularização das cozinhas e varandas gourmet fez com que todos pudessem demonstrar suas habilidades de chef de cozinha. Assim como amadores arriscam receitas e apresentações mais elaboradas, chefs buscam criar opções mais simples, que possam mesmo servir de inspiração para que sejam replicadas em casa. "A tendência é a de desconstruir o que já existe, não fazer as coisas com a mesma cara. As pessoas hoje experimentam algo num restaurante e tentam fazer em casa. Tudo deve estar ao alcance e isso é muito bacana", explica o chef Léo Marques. Esse 'caminho do meio' também se destaca com a sofisticação dos restaurantes de fast food e refeições rápidas e com chefs renomados abrindo estabelecimentos mais populares.

9. Sobremesas de vegetais
A combinação de sabores doces e salgados é bastante explorada na culinária, principalmente na oriental, bem popular no Brasil. Pois agora essa brincadeira vai além, com sobremesas feitas com legumes e verduras. Cenoura e abóbora, por exemplo, são bastante usados em bolos e tortas, mas novos ingredientes estão sendo misturados a receitas tradicionais, resultando em cheesecake de couve-flor, brownie de feijão preto ou crostata de berinjela com cobertura de chocolate.

10. Banana Verde
Linhaça, chia, óleo de coco sempre aparecem em ingredientes que saltam aos olhos dos preocupados com a saúde e boa forma. Segundo a nutricionista funcional Andréa Santa Rosa, a banana verde, que já é bastante indicada por profissionais de nutrição, deve ganhar ainda mais espaço. Pode ser utilizada no preparo de diversas receitas, já que a farinha ou a biomassa podem ser incorporadas a bolos, mousses, entre outros. Grande quantidade de fibras (que ajudam a alcançar sensação de saciedade), numa versão facilmente digerível pelo corpo, e minerais se destacam entre os benefícios do alimento, cujo consumo também está associado ao controle dos índices de glicose no sangue e, portanto, da diabetes, e à redução dos níveis de colesterol e triglicérides.

Ponto a Ponto Ideias