Culinária

publicidade
20 de julho de 2012 • 18h15 • atualizado às 19h06

vc repórter: chef brasileiro é finalista em concurso no Canadá

O brasileiro Felipe Faccioli disputa o posto de chef "mais quente" de Toronto
Foto: Reprodução

Nascido em Recife, no Pernambuco, e criado em Itu, no interior de São Paulo, Felipe Faccioli está ganhando destaque no Canadá. Comandando a cozinha do recém-criado “Lil' Baci Taverna”, o chef de 31 anos é um dos cinco finalistas do Toronto’s Hottest Chef, concurso que irá escolher o chef de cuisine “mais quente” da cidade, além de arrecadar fundos para uma instituição beneficente e movimentar o circuito gastronômico local.

Cansado de trabalhar com consultoria ambiental, o então biológo formado pela Universidade Estadual de Londrina decidiu que era hora de mudar de vida: arrumou as malas e foi parta o Canadá com o objetivo de aprimorar o inglês e, quem sabe, virar um chef de verdade já que, até então, a cozinha era apenas uma necessidade.

“Minha mãe, que também é chef de cozinha, sempre me incentivou dizendo que eu levava jeito para a gastronomia, mas eu fugia do assunto. Na época da faculdade tive que me virar para cozinhar e, graças ao acordo de ‘quem prepara a comida não lava a louça’ feito com os outros moradores da república em que eu vivia, comecei a me aventurar no fogão”, diz.

Faciolli conta ainda que foi no Canadá que viu a grande chance de estudar gastronomia virar realidade. “Entrei na faculdade 'George Brown', que tem um centro de gastronomia inacreditável, e, felizmente, cruzei o caminho de chefs incríveis que me deram muito incentivo, me treinaram e dividiram suas experiências de vida e gastronomia comigo desde o começo”, explica.

Antes de ser o chef do “Lil' Baci Taverna”, Faccioli trabalhou no restaurante “Chiado”, de culinária portuguesa, e no “Salt Wine Bar”, que serve tapas espanholas e portuguesas. “Aprendi muito e cresci como chef. A adrenalina da cozinha, o barulho, o calor, a correria, o trabalho em pé de 10 a 14 horas seguidas, as queimaduras, os cortes, é um trabalho estressante, mas muito divertido. A satisfação de ver os clientes felizes e de receber um elogio por um prato não tem preço”, diz.

Se for eleito o Toronto’s Hottest Chef, Faccioli doará o montante arrecadado com o concurso – 1 dólar por voto de todos os concorrentes mais o valor arrecadado na festa de premiação – ao “Christian Children's Fund of Canadá”, por ser uma instituição que ele e a esposa já conhecem e colaboram. “Acho muito legal estar entre os cinco finalistas por ver quantas pessoas querem o meu bem, torcem por mim e pelo sucesso do restaurante e, também, por ter a oportunidade de fazer ótimos contatos, conhecer alguns chefs que admiro e experimentar a comida feita por eles. Mas o mais importante de tudo vai ser poder contribuir com a instituição de caridade”, afirma.

O concurso é realizado pelo “Swallow Food”, site canadense especializado em gastronomia editado por Ivy Knight, crítica de publicações como “Toronto Life” e “Food & Drink”, em colaboração com outros dois sites: o “Not Your Average Party”, com foco em festas e eventos, e o “Dish Duel”, que organiza uma competição entre pratos dos melhores restaurantes de Toronto. 

Com representantes de 18 restaurantes, a votação via internet teve início em 9 de julho. No dia 12, os 10 chefs mais votados passaram para a segunda fase do concurso e, no dia 17, os cinco candidatos classificados para a final foram anunciados. Entre eles, o brasileiro, que irá disputar a final na próxima segunda-feira, 23.

A internauta Flávia A., de Toronto (Canadá), participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui

vc repórter